Lbor Borrachas | Plásticos | Poliuretano
Lbor Borrachas | Plásticos | Poliuretano

Borracha Neoprene CR

A borracha Neoprene CR recebe essa denominação devido à marca, com o mesmo nome, registrada pela Dupont. Esse material é formado de policloropreno, por sua vez, composto por cloro e butadieno e, polimerizado, origina o elastômero.

Quando a polimerização ocorre sem aditivo de modificação, o resultado obtido é uma borracha muito dura, que não permite reprocesso ou dissolução. Sendo assim, apenas com a decomposição da cadeia de polímero é possível obter novos pontos de clivagem, que ocorre pelo processo com tiurame ou enxofre, ou ainda, sem enxofre, por meio do mercaptano.

É o tipo de policloropreno que vai definir a cor do produto, podendo ser light âmbar, branco suave ou cinzento prateado, assim como a densidade e a viscosidade, que varia de 34 a 130 unidades.

 

CURIOSIDADE SOBRE O NEOPRENE

Uma matéria-prima lançada no mercado pela empresa Dupont, o Neoprene CR (policloropreno) foi anteriormente introduzido com o nome Duprene, apresentando-se como um elastômero sintético muito resistente ao óleo e ao ozônio. E tornou-se conhecido pela atual nomenclatura em meio à comercialização de outras novas variedades com propriedades superiores para o processo de vulcanização; cada uma, produzida para atender a uma aplicação diversificada do setor industrial.

A primeira variedade do material produzida era voltada para a confecção de adesivos e pertencia às famílias G, W e T². Os Neoprenes do grupo G são pouco menos estáveis, embora os GNA e os GT apresentem mais resistência ao processo de cristalização.

Os produtos da família W tornam-se mais resistentes que estes últimos, devido à modificação por mercaptano durante a polimerização. Dentre os tipos mais comuns do grupo W (W, WHV e WK), o Neoprene WRT é mais resistente à cristalização.

Já na família T, os neoprenes TW e TRT são muito parecidos com os pertencentes à família W, mas apresentam pouca nervura e melhor comportamento, graças a um componente diferenciado, o polímero gel e requerem auxílio de componentes aceleradores orgânicos e são de baixa contração.

 

PARTICULARIDADES DAS FAMÍLIAS DE NEOPRENE

 - Família G: apresenta estabilidade de armazenamento limitada, vulcanização rápida, é peptizável em vários graus e não requer auxílio de aceleradores no processo. Seu processo de vulcanização auxilia na obtenção de maior resistência a rasgos, resistência à flexão e melhor resiliência;

 - Família W: possui boa estabilidade de armazenamento, mas não é peptizável.  Através da vulcanização, alcança através do aquecimento, maior resistência ao envelhecimento e melhor Compression Set;

 - Família T: possui boa estabilidade de armazenamento, apresenta pouca nervura e excelente desempenho para processos de extrusão e calandragem. Através da vulcanização, apresenta, assim como o Gupo W, melhor Compression Set e alta resistência ao envelhecimento por processo de aquecimento.

De um modo geral, a borracha de Neoprene apresenta maior tendência a cristalizar, tornando a borracha mais dura durante sua conservação, quando processada por vulcanização à temperatura ambiente ou à baixa temperatura. Esse resultado pode ser impedido se forem introduzidos no processo, componentes plastificantes ou resina, específica para a obtenção de propriedades intrínsecas a cada tipo de aplicação.

A borracha de Neoprene possui maior tendência à cristalização - formação de cristais n macromolécula-, em comparação com os outros tipos de matéria-prima e, é devido a esse efeito que ocorre uma considerável diminuição do volume, ocasionado pelo alongamento do provete sob tensão. Embora seja mais propensa, a cristalização pode ser revertida ao aquecer esse provete que se cristalizou, a uma temperatura pouco mais elevada à que ocorria no momento do fenômeno, contudo, com muita atenção, uma vez que o policloropreno não é resistente a altas temperaturas. Assim, o provete voltará à sua forma original e apresentará suas propriedades características, de flexibilidade e maciez.

Esse efeito de cristalizar é muito útil para a fabricação de colas de contato, que necessitam de matérias-primas mais tendenciosas à cristalização. Ainda, a borracha de Neoprene está presente em uma ampla gama de aplicações do setor industrial, como por exemplo, para Freon (fluido refrigerante), gás, dióxido de carbono, ozônio, luz solar, componentes não tóxicos e correias.

Após o sistema de vulcanização, o elastômero de policloropreno se torna mais resistente à intempérie e ao gás ozônio, assim como outros agentes químicos e ao envelhecimento.

Além desses aspectos, o Neoprene tem excelentes características mecânicas de trabalho e elasticidade sob baixas temperaturas ( cerca de -40ºC), baixa tendência a inflamar e resistência a temperaturas constantes próximas de 100ºC e podem atingir 120ºC, mas resistem por intervalos breves.

Em relação à borracha natural (NR) e demais tipos, como IR e SBR, por exemplo, a borracha CR é pouco menos permeável a gases, assim como as borrachas obtidas através do acrilonitrilo butadieno (NBR). No entanto, é muito resistente a componentes como óleos parafínicos, e pouco menos resistente aos nafténicos e hidrocarbonetos alifáticos, não sendo recomendado para misturas com hidrocarbonetos clorados ou solventes polares.

Muito facilmente encontrado no mercado, o Neoprene de cor preta pode ser encontrado em produtos como lençóis de borracha (CR), com dureza de 70 Shore A, que é resistente à compressão, à tração, deformação permanente, ácidos concentrados, óleos minerais, animais e vegetais, graxas e antichamas, possui excelente dinâmica e é amplamente utilizado por empresas especializadas na confecção de juntas, em geral, forros de bancada, isolamento, guarnições, cortinas para ambientes industriais, arruelas, calços de apoio, divisórias, entre tantas outras aplicações. Porém, não recomendado para processos onde há presença de cetonas e alguns tipos de combustível. Para melhor aproveitamento, deve-se conhecer o local onde o lençol será utilizado, tipos de fluidos com os quais estará em contato, se haverá presença de impacto, cortes, temperatura ambiente e outras condições relevantes, para que o produto possa ser adequadamente preservado e apresentar longa vida útil.

Caracteristicamente, os lenções de borracha Neoprene podem apresentar telas ou não, com espessura que pode varar de 0,4mm a 12,7mm, em diversas cores.

Já as mantas, placas e chapas de Neoprene são muito resistentes a intempéries, ozônio e agentes químicos. Apresentam muito boa resistência mecânica e elasticidade a baixas temperaturas (próximas de -40ºC). Tantos lençóis como as mantas são disponibilizados no comércio em largura, comprimento e espessura variados, para melhor atender a cada setor de aplicação. 

Solicite um Orçamento