Lbor Borrachas | Plásticos | Poliuretano
Lbor Borrachas | Plásticos | Poliuretano

Borracha Látex

A borracha de látex, também conhecida como borracha natural (NR), e quimicamente como cis-poliisopreno é uma matéria-prima obtida através da extração da seringueira, a Havea brasiliensis e, mais precisamente, é um produto resultante da coagulação do látex, que confere a característica elástica.

 

CURIOSIDADE SOBRE A BORRACHA DE LÁTEX

A palavra “borracha” tem suas origens na língua indígena, onde é traduzida como “caoutchouc” ou ainda, “caa-o-chu”. É por ser extraída de um produto natural, o látex, que esse elastômero é denominado Borracha Natural (NR).

Até o ano de 1927, a borracha de látex era o único material reconhecido como borracha e, além do seu alto potencial técnico, ela, assim como todo o seu percurso histórico sempre despertaram muito interesse das mais diversas áreas de estudo, por envolver, sobretudo, questões sociais, trabalhistas e ambientais, representadas por Chico Mendes – um seringueiro brasileiro, sindicalista e ativista político.

 

INFORMAÇÕES SOBRE A BORRACHA DE LÁTEX

Com sua estrutura original proveniente do látex, a borracha natural (NR) pode ter sua versão melhorada, para melhor servir às aplicações que exigem mais resistência e características específicas. Para se alcançar isso, por meio do processo de coagulação por acidificação, sob condições rigidamente controladas, é possível atingir graus de qualidade superiores ao que é obtido na simples coagulação do látex.

Para disposição comercial, além do látex, a borracha natural recebe adição de outros ingredientes que chegam a uma proporção em volta de 4% a 9%. Entre esses aditivos, os que mais se destacam pela importância na mistura são os antioxidantes naturais e ativadores do processo de vulcanização. Mais precisamente, podem ser representados, basicamente, pelas proteínas e alguns tipos de ácido (ácido gordo).

Além desses componentes, alguns outros são de extrema relevância para a formulação de um elastômero de qualidade, como o fator humidade (com variação de 0,3% a 1%), o extrato de acetona (com variação de 1,5% a 4,5%), as proteínas (com variação de 2% a 3%), cinzas (com variação de 0,2% a 0,5%) e a própria borracha ou hidrocarboneto (com variação de 91% a 96%), que é o ingrediente com maior proporção na mistura.

Na denominação química, a borracha de látex recebe o nome de cis-1,4 – poli-isopreno e possui cadeia polimérica longa e linear, que por sua vez, possui unidades isoprenicas repetitivas, caracterizadas pela denominação C5 H8, com densidade que pode variar de 0,93ºC a 20ºC.

Esse mesmo isopreno encontrado na formulação química dessa borracha é um ingrediente comum também no composto químico 2-metil-1,3 butadieno. E devido ao fato de possuir uma estrutura linear e regular, a tendência à cristalização é relativamente maior, podendo ocorrer em temperaturas inferiores a -20ºC, que podem variar, assim como a velocidade em que a cristalização ocorre. E o principal fator dessas variantes é o tipo de borracha utilizada.

A estrutura da borracha natural (NR) apresenta, para cada unidade de isopreno, uma ligação dupla, que junto com os grupos metilo (em posição alfa) são utilizados como reativos no processo de vulcanização com enxofre. As ligações duplas, ainda, podem fazer parte de outras reações, que ocorrem com a adição de oxigênio ou gás ozônio, utilizados para ocasionar o envelhecimento necessário para chegar à característica ideal.

A borracha natural pode ser classificada em três grupos distintos: as borrachas de graus convencionais, as borrachas tecnicamente especificadas (TSR) e as borrachas tecnicamente classificadas (TCR).

As borrachas pertencentes ao grupo de graus convencionais são denominadas Ribbed Smoke Sheets (RSS), Air Dried Sheets, Pale Crepe, Sole Crepes e Brown and Blanked Crepes.

Já o grupo das TSR, as borrachas tecnicamente especificadas chegaram ao mercado através da Malásia, no ano de 1965, e intituladas Standard Malaysian Rubber (SMR). Essa versão foi normalizada e serviu de exemplo também para outros países produtores de borracha, como por exemplo, a Indonésia, que registrou a Standard Indonesian Rubber (SIR). Dentro desse grupo das borrachas TSR, os tipos mais comuns são o SMR L, que apresenta pigmentação mais clara; o SMR CV, que apresenta viscosidade estável; SMR WF e o SMR, que possui pigmentação mais escura e intensa. As borrachas do tipo SMR GP  possuem diversas aplicações, mas por sua característica estabilidade, em se tratando de viscosidade, é mais costumeiramente recomendada para aplicação na indústria de pneus. O tipo TSR 5 é obtida através do látex, através do mesmo processo pelo qual se obtém as borrachas do tipo SMR L. Porém, não utilizam o metabissulfito de sódio no tratamento. Além desses, ainda restam os tipos TSR 10, TSR 20 e TSR 50.

No grupo TCR, a borracha é considerada uma Borracha Natural Estendido com Óleo (OENR) e assim se denomina devido à utilização de aproximadamente 20% a 30% de óleo de processamento com características aromáticas ou óleo naftéico, de Borracha Natural Desproteinada (DPNR), Borrachas de Processamento Superior (SP), BorrachaNatural Epoxidada (ENR) e Borracha Natural Termoplástica (TPNR).

Esses são os tipos de borracha provenientes da Malásia e da Indonésia. Além desses, ainda existem outros, que na nomenclatura são classificados conforme o país o registrou, como exemplos, seguem: TTR, SSR, NSR, CAM, GHA, GAB, LIB, SPR, PNG CR, SLR, SVR e CRS, pertencentes aos países: Tailândia, Singapura, Nigéria, Camarões, Ghana, Gabão, Libéria, Filipinas, Papua da Nova Guiné, Sri Lanka, Vietnã e China, respectivamente.

 

COMÉRCIO DA BORRACHA DE LÁTEX

T. Hancock e Charles Goodyear foram os percussores da borracha industrial, obtendo em 1843 as primeiras placas fabricadas com borracha natural (NR). A partir dessas placas, foram fabricados os primeiros produtos de borracha, e depois evoluíram, até mesmo pelo surgimento da borracha sintética.

Para obter a qualidade ideal na produção da borracha industrial, geralmente os compostos utilizados necessitam passar pela fase de vulcanização, que pode ocorrer com adição de enxofre, peróxidos ou óxidos metálicos. Esses e tantos outros produtos são responsáveis por se chegar às propriedades físicas, químicas e térmicas de cada tipo de borracha, seja ela de origem natural ou artificial.

As principais propriedades da borracha de látex mais valorizadas tecnologicamente são a resistência à tração, elasticidade, resistência a altas temperaturas e maior flexibilidade quando sujeitas à baixa temperatura, dinâmica, alta permeabilidades e resistência a gases, como o ozono.

Solicite um Orçamento